Timor L/L – Línguas Étnicas e Lusofonia

 

TIMOR  LESTE/LOROSA’E

 

  • Independência – 20mai2002 (Reconhecimento internacional)
  • População – 1.241.393  (2017 – cf Relógio da população timorense, Google).
  • População na diáspora – ?
  • Área – 14.874 km2

 

        

 

30 Línguas para uma superfície de 14.874 quilómetros quadrados e para uma população de 1.240.904 (cf. “Relógio de População de Timor Leste”, Google e outras fontes, 06ago2017).

 

De acordo com a Constituição de Timor-Leste, o tétum e o português têm o estatuto de línguas oficiais. De acordo com parágrafo 3 do artigo 3 da Lei 1/2002, em caso de dúvida na interpretação das leis prevalece o português.

Para além do tétum, existem mais de 30 línguas nacionais em Timor-Leste: Ataurense, Baiqueno, Becais, Búnaque, Fataluco, Galóli, Habo, Idalaca, Lovaia, Macalero, Macassai, Mambai, Quémaque, Uaimoa, Naueti, Mediki, Cairui, Tetum-terik, Dadu’a, Isní, Nanaek, Rahesuk, Raklungu, Resuk, Sa’ane, Makuva, Lolein, Adbae, Laclae e Tocodede. Este número pode variar de acordo com o critério dos especialistas na matéria ou de simples amadores.

Estas línguas são tão diferentes entre si como as Línguas Latinas são diferentes das restantes Línguas Europeias e Línguas Mundiais. São mais diferentes entre si que as línguas de matriz latina entre si, no interior das latinofonias, onde relativas facilidades de intercompreensão, escrita e oral, nomeadamente entre o Português e o Espanhol.

Algumas destas Línguas estão ameaçadas de extinção. Outras poderão ter sido extintas ao longo dos séculos. Ler a propósito o Artigo “De Quantas Línguas se Faz um País”, publicado em 29nov2011, por Sapo Notícias, Global Voices, Línguas na Intenet, Gogle, fonte 06ago2017.

O inglês e o indonésio têm o estatuto de línguas de trabalho nas provisões transicionais da Constituição.

Mercê de fluxos migratórios de população chinesa, o mandarim, o cantonês e, principalmente, o hakka são também falados por pequenas comunidades.

 

P’a Direção da PISCDIL – Plataforma Internacional da Sociedade Civil da Diáspora Lusófona

Lisboa, 13ago2017

Alberto Araújo

Presidente

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *