Agosto, 2019

now browsing by month

 

8º Debate à Distância, 25jan2020 – Liderança da Nação e “Cooperação Lusófona no Direito”

Debate – centrado na Formação Não-Curricular em Liderança da Nação e Cidadania

  • PIVÔ: Pedro Velez, convidado por MIL (Movimento Internacional Lusófono)
  • QUESTÃO: Cooperação Lusófona no Direito
  • DATA: 25 de janeiro de 2020
  • HORA: 11h00
  • LOCAL: (oprtunamente)

 

  • SINOPSE: Pretendemos reflectir sobre as linhas estruturais da cooperação lusófona, indicando os seus principais bloqueios e oportunidades no plano do Direito. (Aguardamos detalhes)
  • CURRICULUM:
  • Pedro Rebelo Botelho Alfaro Velez (n. 1979) Licenciado em Direito [média final de 5 (escala 0 a 6) ou 17 valores (0-20)] na FDUNL (2002).
  • Doutor em Direito (Fevereiro de 2014), na especialidade de Ciências Políticas (tese intitulada: Constituição e Transcendência: os casos dos regimes comunitários do entre-guerras), pela FDUNL, tendo sido aprovado, por unanimidade, com a qualificação de distinção e louvor, por unanimidade.
  • Para além da dedicação à investigação no quadro da preparação da dissertação de doutoramento, nos últimos anos, tem tido experiências académicas de diversa índole: na FDUNL, colaborou no ensino da Disciplina de História das Instituições Portuguesas (regência do Professor Doutor Diogo Freitas do Amaral);
  • Leccionou a componente prática da disciplina Direitos Fundamentais, no curso de Direito da UAL (regência do Professor Doutor José Lamego);
  • Ensinou Direito Comunitário no Centro de Estudos Judiciários, no âmbito do curso de preparação de Auditores de Justiça (a regência da disciplina a cargo do Professor Doutor Nuno Piçarra).

 

  • PARCERIAS:
  •                                                        

 

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

 

  • NOTA:
  1. MIL é Parceira da PISCDIL. Está em vigor um Protocolo informal de Cooperação. O Protocolo formal de Cooperação será firmado oportunamente.
  2. Têm um Objetivo Comum: Formação Não-Curricular em Liderança da Nação e Cidadania.
  3. Utilizam a Estratégia de Debates à Distância entre as Comunidades Lusófonas.
  4. A publicação atempada (hoje, 12ago2019) de uma Sinopse detalhada da Temática (Cooperação Lusófona – Bloqueios e Oportunidades) tem como objetivo permitir que o Debate à Distância possa envolver personalidades/especialistas e respetivos textos, obras, enfim, quaisquer publicações em papel ou, preferencialmente, em formato digital.
  5. A participação nos DEBATES pode ser: a) PRESENCIAL. b) À DISTÂNCIA. Para ambas as situações, que os interessados enviem o respetivo contato eletrônico e número de telemóvel, com um breve texto escrito. para: diasporalusofona.nov2015@gmail.com. A empresa do equipamento de Transmissão à Distância – VEEDEEO – enviará oportunamente: um Link e um número de contato. Estarão, assim, presentes na Sala de Debate.
  6. As SESSÕES serão integralmente gravadas em VÍDEO e publicadas através da Internet, juntamente com o “breve texto” atrás solicitado/proposto no Ponto 5.
  7. As SESSÕES serão integralmente gravadas em VÍDEO e publicadas através da Internet, juntamente com o “breve texto” atrás solicitado/proposto no Ponto 5.
  8. A Formação Curricular em Liderança da Nação e Cidadania – “Curso de Formação Avançada em Cidadania e Liderança” – é coordenada por Academia das Ciências de Lisboa / Instituto de Altos Estudos (ACL/IAE), em Portugal. Nas outras Comunidades-Lusófonas/Estados é coordenada pelas respectivas Instituições Formadoras assinantes de Protocolos de Cooperação com ACL/IAE,

       8,1 – O Curso é de nível de Pós-Graduação.

       8.2 – As Prelecções decorreram de janeiro a junho de 2019. Foram gravadas em    VÍDEO e colocadas na Internet. Só podem ter acesso e fazer download os candidatos inscritos.

       8,3 – A Inscrição no Curso é feita através de: https://liderancanacionalprofissional.timor-diaspora.org/

Pela Direcção da PISCDIL – Alberto Araújo, 15ago2019

 

 

7º Debate à Distância, 14dez2019 – Liderança da Nação e “Cooperação Lusófona nas Infraestruturas”

Debate – no âmbito da Formação Não-Curricular em Liderança da Nação e Cidadania 

       

  • DINAMIZADOR: Américo Ferreira
  • QUESTÃO: Cooperação Lusófona nas Infraestruturas
  • DATA: 14 de dezembro de 2019
  • 11h00
  • LOCAL: (oportunamente)

 

  • SINOPSE:  Pretendemos reflectir sobre as linhas estruturais da cooperação lusófona, indicando os seus principais bloqueios e oportunidades no plano das Infraestruturas. ( Texto: a seu tempo)

 

 

  • PARCERIAS:

                                                       

 

  • LEGENDA,  por ordem dos Logotipos: Plataforma Internacional da Sociedade Civil da Diáspora Lusófona; Academia das Ciências de Lisboa; Associação Portuguesa para a Qualidade; Movimento Internacional Lusófono; Publicação Nova Águia; Federação Universal da Paz; Escola Profissional Gustave Eiffel; Academia das Ciências e Humanidades de Cabo Verde; Universidade Piaget de Guiné Bissau; Universidade Lusíada de São Tomé e Príncipe; Fundação Atena de São Tomé e Príncipe; Instituto de Ciência Tecnologia de Aileu, Timor L/L.

 

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

 

  • NOTAS:
  1. MIL é Parceira da PISCDIL. Está em vigor um Protocolo informal de Cooperação. O Protocolo formal de Cooperação será firmado oportunamente.
  2. Têm um Objetivo Comum: Formação Não-Curricular em Liderança da Nação e Cidadania.
  3. Utilizam a Estratégia de Debates à Distância entre as Comunidades Lusófonas.
  4. A publicação atempada (hoje, 12ago2019) de uma Sinopse detalhada da Temática (Cooperação Lusófona – Bloqueios e Oportunidades) tem como objetivo permitir que o Debate à Distância possa envolver personalidades/especialistas e respetivos textos, obras, enfim, quaisquer publicações em papel ou, preferencialmente, em formato digital.
  5. A participação nos DEBATES pode ser: a) PRESENCIAL. b) À DISTÂNCIA. Para ambas as situações, que os interessados enviem o respetivo contato eletrônico e número de telemóvel, com um breve texto escrito. para: diasporalusofona.nov2015@gmail.com. A empresa do equipamento de Transmissão à Distância – VEEDEEO – enviará oportunamente: um Link e um número de contato. Estarão, assim, presentes na Sala de Debate.
  6. As SESSÕES serão integralmente gravadas em VÍDEO e publicadas através da Internet, juntamente com o “breve texto” atrás solicitado/proposto no Ponto 5.
  7. As SESSÕES serão integralmente gravadas em VÍDEO e publicadas através da Internet, juntamente com o “breve texto” atrás solicitado/proposto no Ponto 5.
  8. A Formação Curricular em Liderança da Nação e Cidadania – “Curso de Formação Avançada em Cidadania e Liderança” – é coordenada por Academia das Ciências de Lisboa / Instituto de Altos Estudos (ACL/IAE), em Portugal. Nas outras Comunidades-Lusófonas/Estados é coordenada pelas respectivas Instituições Formadoras assinantes de Protocolos de Cooperação com ACL/IAE.
  9. Pela Direcção da PISCDIL. Alberto Araújo 14ago2019

Alberto Araújo

Presidente da Direção da PISCDIL (Plataforma ISC da Diáspora Lusófona)

5º Debate à Distância, 26out2019 – Liderança da Nação e “Liderança em tempos de Democracia Global”

Debate – no âmbito d Formação Não-Curricular em Liderança da Nação e Cidadania

  • DINAMIZADOR: Mendo Castro Henriques
  • QUESTÃO: Liderança num Tempo de Democracia Circular
  • DATA: 26out2019
  • HORA: 11h00, Portugal
  • LOCAL: Auditório Brazão Farinha, Escola Profissional Gustave Eiffel Amadora Sede (EPGE). Rua Elias Garcia, 29, 2700-132, Amadora, Portugal

 

  • SINOPSE: Pretendemos reflectir sobre as linhas estruturais da questão da Liderança em tempos de democracia circular, indicando os seus principais bloqueios e oportunidades.
  • BIBLIOGRAFIA:  WOOK – https://www.wook.pt/autor/mendo-castro-henriques/2607
  • CURRICULUM (breve; ver Google):
  • – Professor na Universidade Católica Portuguesa e membro da Direção do CEFi.
    – É autor, co-autor e organizador de doze monografias e mais de oitenta artigos nas áreas de filosofia e cidadania, nomeadamente na divulgação em língua portuguesa das obras filosóficas de Eric Voegelin, Bernard Lonergan e Franz Rosenzweig.
    – Tem sido participante e coordenador de conferências científicas e culturais em Alemanha, Angola, Bélgica, Brasil, Chile, Espanha, EUA, França, Grã-Bretanha, Hong-Kong, Itália, Luxemburgo, Macau, Marrocos e Roménia.

 

SÍNTESE da Apresentação

 

“Liderança em Tempos de Democracia Global

Durante a longa história da democracia desde a Antiguidade até ao sistema representativo atual, adotaram-se várias configurações até nos fixarmos no sistema representativo.

Há muito que se diz que a democracia representativa está a ser complementada pela democracia participativa, surgindo mesmo iniciativas interessantes que ligam ambas como sejam as ILC’s, Iniciativa Legislativa de Cidadãos, e de que esta Conferência é um apelo.

Tive ocasião de argumentar que não basta, na democracia atual, dividi-la em vertentes participativa e representativa. Seria o mesmo que dizer a uns para que falem e a outros que decidam. E seria diminuir um dos aspectos mais decisivos da democracia atual que é luta contra a corrupção que não pode perseguir apenas os “bandidos”, que praticam crimes, mas que tem de se preocupar com os “bandalhos”, as autoridades que os permitem..

O desenvolvimento das sociedades tem tornado a democracia um processo circular em que interessa. 1) O momento de deliberação em que se debatem programas e soluções. 2) O momento de escrutínio em que constantemente se supervisionam as decisões. 3) O momento eleitoral de escolha de soluções e decisores com poderes:

Só existe legitimidade nas decisões quando elas são acompanhadas democraticamente na origem, durante o processo, e nos resultados.

Com as novas formas e iniciativas da democracia deliberativa as organizações e os cidadãos podem e devem debater com as forças políticas as melhores soluções para as políticas públicas, sejam de âmbito local, regional, nacional ou europeu. Existem orçamentos participativos, fóruns de cidadãos, comissões de cidadania, etc.

Existe, seguidamente, a democracia de escrutínio em que todos devem ter voz para a supervisão dos processos democráticos . A democracia começa pela auto vigilância exercida pelos detentores de cargos públicos. Estes devem assegurar-se de que as regras democráticas são seguidas e prevenir a corrupção. Tive ocasião de citar a ação pioneira neste domínio, em Portugal, do sr. Coronel Manuel Da Costa Braz.

A democracia de escrutínio passa também pela comunicação social e pelas redes sociais que devem estar prontas a vigiar, separando entre notícias verdadeiras e falsas. A democracia de escrutínio passa por uma justiça a funcionar em pleno, com transparência e sem entraves, quando se trata de investigar, julgar e punir crimes.

Finalmente, vem o sistema eleitoral democrático de escolha de representantes e através destes, de governantes. As eleições são o momento terminal de um ciclo de decisão mas também a abertura de um novo ciclo eleitoral em que se retoma a democracia deliberativa e a democracia de escrutínio, num processo circular.

Expus estas ideias, que nem são completamente originais, em “A promessa da Política” e continuarei a bater-me por elas com todos os meus companheiros do Nós,Cidadãos! .”

 

 

 

    

 

  • PARCERIAS:
  •                                      

 

            

 

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

 

  • NOTA:
    1. Mendo Henriques é membro do MIL.
    2. MIL é Parceiro da PISCDIL. Está em vigor um Protocolo informal de Cooperação. O Protocolo formal de Cooperação será firmado oportunamente.
    3. Têm um Objetivo Comum: Formação Não-Curricular em Liderança da Nação e Cidadania.
    4. Utilizam a Estratégia de Debates à Distância entre as Comunidades Lusófonas.
    5. A publicação atempada (hoje, 12ago2019) de uma Sinopse detalhada da Temática (Cooperação Lusófona – Bloqueios e Oportunidades) tem como objetivo permitir que o Debate à Distância possa envolver personalidades/especialistas e respetivos textos, obras, enfim, quaisquer publicações em papel ou, preferencialmente, em formato digital.
    6. A participação nos DEBATES pode ser: a) PRESENCIAL. b) À DISTÂNCIA. Para ambas as situações, que os interessados enviem o respetivo contato eletrônico e número de telemóvel, com um breve texto escrito. para: diasporalusofona.nov2015@gmail.com. A empresa do equipamento de Transmissão à Distância – VEEDEEO – enviará oportunamente: um Link e um número de contato. Estarão, assim, presentes na Sala de Debate.
    7. As SESSÕES serão integralmente gravadas em VÍDEO e publicadas através da Internet, juntamente com o “breve texto” atrás solicitado/proposto no Ponto 5.
    8. A Formação Curricular em Liderança da Nação e Cidadania – “Curso de Formação Avançada em Cidadania e Liderança” – é coordenada por Academia das Ciências de Lisboa / Instituto de Altos Estudos (ACL/IAE), em Portugal. Nas outras Comunidades-Lusófonas/Estados é coordenada pelas respectivas Instituições Formadoras assinantes de Protocolos de Cooperação com ACL/IAE.
    9. Pela Direcção da PISCDIL – Alberto Araújo. Lisboa, 12ago2019

 

17º Debate à Distância, 28nov2020 – Liderança da Nação e “Cooperação Lusófona: Bloqueios e Oportunidades”

II Congresso da PISCDIL – Plataforma Internacional da Sociedade Civil da Diáspora Lusófona.

Liderança da Nação e Plano Estratégico de Desenvolvimento (PED) – Longo, Médio, Curto e Curtíssimo Prazo.

27 2 28 de novembro de 2020.

(Dados a introduzir a seu tempo)

 

Pela PISCDIL

Lisaboa,  28dez2019

Alberto Araújo

 

 

 

 

 

 

4º Debate à Distância, 28jun2019 – Liderança da Nação e “Qualidade, Cidadania e Boa Governação”

LIDERANÇA DA NAÇÃO E CIDADANIA

Eng. António Ramos Pires

  • QUESTÃO: Qualidade, Cidadania e Boa Governação
  • PARTICIPANTES: Debate à Distância com as Comunidades Lusófonas, via Sistema de Transmissão VEEDEEO
  • LOCAL: Biblioteca Orlando Ribeiro, Telheiras, CM Lisboa
  • DATA:28jun2019, 11h00

 

     

 

  1. BIOGRAFIA:

António Ramos Pires é licenciado em Engenharia Electrotécnica (FCTUC), pós graduado em Engenharia da Qualidade (FCTUNL), mestre em Controlo e Garantia da Qualidade (Universidade de Cranfield), e doutor em Engenharia Industrial (FCTUNL). Foi Professor Coordenador no Instituto Politécnico de Setúbal. Na sua atividade académica destaca-se uma vastíssima monografia (mais de uma centena de publicações entre livros, manuais e artigos), a lecionação em mestrados na área da gestão da qualidade e a participação em seminários e congressos nacionais e internacionais. Paralelamente a esta atividade, foi responsável pela implementação de técnicas e métodos de gestão da qualidade num vasto número de organizações em diversos setores da indústria, serviços e administração pública. É assessor da EFQM (European Foundation for Quality Management) desde 1994, Avaliador Coordenador da FUNDIBEQ (Fundação Ibérico Americana para a Gestão da Qualidade) desde 2001, e Auditor Coordenador em Sistemas de gestão desde 1997. Em 1999 e 2000 foi Presidente do Instituto Português da Qualidade. E desde 2012 é Presidente da Direção da APQ (Associação Portuguesa para a Qualidade).

 

2, TÓPICOS  da Apresentação

“Qualidade, Cidadania e Boa Governação”

  1. Enquadramento: Qualidade, Mitos, Envolvente e Contexto
  2. Qualidade  e Competitividade da Administração Pública
    III. Organização interna
    IV. Inovação e melhoria contínua
    V. Organizações emergentes inovadoras
    VI. Modelos e prémios nacionais da qualidade
    VII. Sistema Nacional da Qualidade

VIII. Política Nacional da Qualidade

A Sessão foi foi gravada integralmente em VÍDEO, que será proximamente publicado através de YOUTUBE

 

3, RESUMO:

  • Desenvolvimento dos Tópicos acima referidos – Ponto 2.

https://mail.google.com/mail/u/2/#search/antonio.pires%40estsetubal.ips.pt+debates+/QgrcJHrnxTcVHsCbmdTLKQhLKLjZSqWMCFL?projector=1&messagePartId=0.1

 

4. POLÍTICA DE QUALIDADE:

  • Boletim Oficial de Cabo Verde, I Série, nº 38, Terça.feira, 23 de junho de 2015, Resolução nº 55/2015: Aprova a Política Nacional da Qualidade. Assinada: Sara Maria Duarte Lopes, Gabinete da Minstra das Infraestruturas e Economia Marítima, aos 15 de junho de 2015 – Ver Google:

https://mail.google.com/mail/u/2/#search/antonio.pires%40estsetubal.ips.pt+debates+/QgrcJHrnxTcVHsCbmdTLKQhLKLjZSqWMCFL?projector=1&messagePartId=0.3

 

5. CURRICULUM:

  • Habilitações Acadêmicas. Qualificações Profissionais. Associações Profissionais. Experiência Profissional irrelevante.  Experiência de Consultoria a nível Nacional. Experiência de Consultoria a nível Internacinal. Auditorias dentro do Sistema Português de Qualidade. Publicações. Outras Actividades técnico-profissionais. Reconhecimentos e Prémios. Ver Google:

https://mail.google.com/mail/u/2/#search/antonio.pires%40estsetubal.ips.pt+debates+/QgrcJHrnxTcVHsCbmdTLKQhLKLjZSqWMCFL?projector=1&messagePartId=0.2

 

6. OBRAS:

  • Obras publicadas. Ver Google:

https://mail.google.com/mail/u/2/#search/antonio.pires%40estsetubal.ips.pt+debates+/QgrcJHrnxTcVHsCbmdTLKQhLKLjZSqWMCFL?projector=1&messagePartId=0.4

 

7. Assinatura de Protocolo de Cooperação entre PISCDIL e  APQ, 28 de abril de 2016 – Arquivo fotográfico